Wyoming, E.U.A., 1892

Uma mulher rebelde, um homem misterioso... e uma paixão sem limites!

Dona de sua vontade, Jessica Randall é uma mulher que desafia os padrões convencionais da época ao conquistar sua autonomia e decidir nunca se apaixonar... 


Até um charmoso e másculo caubói virar sua vida de pernas para o ar! Em busca de uma vida estável, Duncan Frazer fica deslumbrado desde o primeiro instante em que Jessica cruza seu caminho. 

Fazendo-se passar pelo novo capataz do pai dela, para ajudar a descobrir quem está roubando as cabeças de gado da fazenda, Duncan sabe que, se revelar a verdade, porá em risco todas as chances de conquistar aquela mulher linda e de personalidade forte. 

Mas quando a poderosa atração entre Duncan e Jessica os leva a um momento mágico de entrega, eles têm de escolher entre uma vida sem promessas para o futuro e uma paixão arrebatadora que contraria todas as regras... 

Meu Comentário:

Duncan Frazer, o conde de Rayburne.

Metade índio americano da tribo Shoshone, metade uma mistura de escocês e inglês.

Todos acreditavam que ele era mexicano, o homem de confiança do dono do Circle -F em Wyoming, chamado o "Segundo".

Comecei a leitura numa ida ao trabalho e a leitura fluiu tão bem que ao chegar ao meu destino estava quase na metade, talvez tenha sido porque eles brigam muito, o fato é que Jessica é muito independente e Duncan é tão machista quanto um ogro².

A história nos conta sobre a primeira vez que ele viu Jessica, ela era apenas um bebê a uns 20 anos atrás... Agora que ele está de volta não pode dizer quem é e o ódio de Jessica por ele é instantâneo .

Gostei muito da narrativa da autora que nos conta a história de todos os personagens, por exemplo nos mostrando um amor paralelo do jeito que a minha amiga Andrea Mattos gosta com mocinha violentada e tudo... (só para explicar, Dea gosta da superação e de como personagens sofredoras, podem encontrar a felicidade, independente do tamanho de sua tragédia no passado), e admito que com essa visão a Dea tirou muito de meus velhos preconceitos em relação a livros assim.

Com algumas cena picantes, a primeira vez do casal me deixou chateada, se no finalzinho a Jessica não tivesse meio que concordado eu poderia dizer que foi um abuso.

Deste momento em diante o livro na minha humilde opinião perdeu o encanto, visto que as atitudes de Duncan se tornam arbitrárias e o amor e o respeito estão bem longe da trama.

Com uma premonição sinistra pairando sobre Jessica e seu bebê, eu definitivamente tive que me arrastar nas últimas páginas e o final... bem, só me fez querer que tivesse o livro da irmã do Duncan.

Enfim, livro sem  ☆.

2 comentários:

Lidy disse...

Cunhada, ótima resenha!

Eu nunca li nada dessa autora, só vi os comentários sobre aqueles livros das janelas, e não fiquei interessada. rsrs

Parece que não tô perdendo nada.

Bjos

Mara disse...

Decididamente não cunhada... não perca seu precioso tempo com isso.

Bjos
Mara

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe