Cornualha, Inglaterra, 1803

Ele estava em busca de vingança.
E acabou encontrando o amor...

No passado, Cam Colburne, presenciou em uma prisão francesa um espetáculo de horror cometido pelo povo histérico. Testemunhou sua família ser condenada à morte pelos atos de Gabrielle de Brienne, na época uma menina, filha de um diplomata francês. Uma década depois, chegou o momentos da desforra. Colbourne rapta a adorável Gabrielle, e a mantém como refém no seu castelo.

Gabrielle, não se amedronta com as ameaças do seu captor. Pois sente nos olhos de Coulbourne, a ternura que ele esconde sob o exterior de arrogância e indiferença. A cada nascer de sol ela planeja sua fuga. Mas, é durante a noite, que Gabrielle anseia por desvendar os segredos de Coulbourne, com medo de que seu coração e sua resistência se rendam ao charme sedutor daquele homem!
Meu Comentário:

Elizabeth Thornton tinha uma escrita bem peculiar capaz de nos prender da primeira até a última página.

Cam é um mocinho irritante, que no entanto me causou profunda fascinação.

Gabrielle tem tudo nas mãos para controlar o jogo, mas precisa de alguém que a instrua, pois sua inocência não a deixa perceber o poder que tem.

Temos algumas cenas de ciúmes, e muito jogo político. 

O perdão é o ingrediente principal dessa trama, sem ele não é possível alcançar o tão sonhado final feliz. 

E a verdade é que o perdão é uma via de duas mãos, somente assim ele alcança o seu objetivo.

Livro denso, tenso, com muita aventura e ótimos coadjuvantes.

Nota 10.

Ps. Excelente resenha desse livro no site da Tonks, para ver clique aqui.

6 comentários:

Lidy disse...

Gabrielle de Brienne?

Brienne?

Pronto, agora eu quero rever todas as três temporadas de "Game of Thrones"... OMG!

Bjos

Mara disse...

E, isso é tudo o que você tem a me dizer?

bjos
Mara

Lidy disse...

Eu poderia dizer "ótima resenha" ou "eu quero muito ler esse livro", né? rs

Mas só vou dizer a verdade: eu quero muito ler um livro da ET, mas não um com um mocinho irritante e uma mocinha incompetente para assuntos políticos, que tem a faca (cega) e o queijo nas mãos.

Bjs

Mara disse...

Bem, se a minha resenha não te convenceu aproveita e espia a resenha da Tonks, onde ela coloca um trecho megaengraçado em que o Cam tem uma ataque possessivo.

bjos
Mara

Lidy disse...

Tá, parece que esse vai pro fim da lista de desejos, mas ainda com ceticismo. rs

renanthesecond2 disse...

Confesso que não simpatizo muito com esse livro, Lidy. Embora tenha seus motivos, achei Cam cruel em boa parte da história (por exemplo, quando ele humilhava Gabrielle porque ela não sabia regras de etiqueta), e o fato de que ele mantinha uma amante enquanto já estava casado (embora a relação não tivesse sido consumada nesse momento) não foi nada simpático

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe