Colorado, América do Norte, 1878

Annie não era como as outras jovens.

Para a família, Annie era como uma boneca de porcelana.


Luke Carpenter era a única pessoa que a via exatamente como ela era: uma mulher adulta, cheia de sonhos, desejos e esperanças para o futuro... ao lado dele!

Para Luke, ela era a doce Annie, uma mulher com incríveis talentos e um coração tão aberto quanto o amplo céu do Oeste.

Não houvera nem um momento sequer em que ele tivesse deixado de amá-la. Luke arriscaria tudo para torná-la sua esposa, mesmo contra tudo e contra todos!

Meu Comentário:

"Minha doce Annie" é uma história de amor que ensina coragem e superação, uma das mais belas que já tive o prazer de ler.

Luke se apaixona à primeira vista por Annie em seu aniversário de 10 anos. Nesse tempo Luke nosso lindo forasteiro conta com 14 anos, e neste dia ele dá a Annie que vive presa na cadeira de rodas o melhor presente que alguém poderia lhe dar; Luke a leva para cavalgar, provando assim o doce sabor da liberdade.

A retribuição da família de Annie é chocante, horrenda e egoísta; Luke leva uma surra do irmão de Annie que covardemente se junta com seus amigo para tal façanha, e recebe a advertência de nunca mais se aproximar dela.

Os anos passam...

Digamos que o garoto tem tutano e apesar das dificuldades vence na vida da forma mais difícil já que o pai de Annie é dono do único Banco da cidade.

Apesar da cadeira de rodas aos poucos junto com Luke vamos descobrindo que Annie pode andar, o que a impede é apenas o orgulho e o egoísmo da mãe.

Cada página é uma vitória e chorei por cada conquista.

Na minha humilde opinião uma das cenas mais belas desse livro é a cena do baile em que Annie levanta da cadeira em frente à família e toda a cidade, caminhando suavemente em direção ao Luke e mostrando finalmente à todos que eles estão juntos, nesse momento ela prova ser merecedora de seu amor, e é uma das mais emocionantes que já li.

Enfrentando tudo e todos, eles finalmente se casam.

Nesse momento do livro a autora nos mostra a luta diária do casal, a força, a coragem e o amor que os une.

Com a mãe ainda atrapalhando sua felicidade, ao se recusar a compartilhar a alegria do casal, mostrando sua falta de confiança e seu profundo egoísmo, caminhamos ao lado do casal vendo a preparação para receber o primeiro herdeiro.

Uma tragédia se abate sobre eles, provando mais uma vez que antes da bonança vem a tempestade.

Chorei, lamentei e me revoltei, mas compreendi.

Finalmente conseguimos o tão almejado "Final Feliz", com direito à prólogo que eu amo.

Nota 10. Livro inesquecível.




6 comentários:

Alexis Leehlan disse...

Eu amo esse livro!
É realmente lindo, maravilhoso! Uma emocionante história de amor e superação!
Bjus

Lidy disse...

Amo, amo, amo, amo, amo esse livro! Queria que houvessem mais histórias assim!

Ótima resenha, cunhada!

Bjos

Mara disse...

Realmente meninas... esse livro é lindo demais... e o Luke, me lembrou e muito o Robert de Beaumont de Olhos da Meia-Noite da Sarah Brophy... perfeito!!!!

Andrea disse...

Oi, amiga!

Bela resenha, me deu vontade de ler. Você tem em arquivo?

Beijos!

Mara disse...

Oi Andrea!

Já te enviei o arquivo por e-mail... aprecie o Luke, porque vale muito a pena!

bjos
Mara

Thaís disse...

Mara adoro esse livro .Amei sua resenha . Gosto muito da Cheryl , já li todos os livros dela publicados pela NC . Gosto muito de Chance de recomeçar , Tempo de recomeçar e Noiva da fronteira Pena não lançarem os mais recentes !! ;)

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe