A Noiva da Fronteira

ELA NÃO PROCURAVA UM MARIDO...

Atirar em um bandido foi a introdução da reporter Helene Wainwright ao Oeste selvagem, para onde viajara com um grupo de noivas por correspondencia. Porém foi um mais intimo "olá", nos braços de Cooper Dewite, que fez seu coração disparar e tornou ainda mais dificil a tarefa de explicar ao desbravador que não era a mulher que ele havia mandado buscar...

Quando ela pulou da diligência exalando verdadeira bravura, e contando muitas historias, Cooper Dewitt pensou que talvez houvece encontrado ouro. Criado pelos sioux, Cooper precisava de uma esposa capaz de enfrentar a vida dura da fronteira e domar seu espirito irriquieto. O problema era que sua noiva não tinha nenhuma intenção de se casar com ele!

Meu Comentário:

Essa capa realmente não tem nada haver com o livro, pois olhando ela, conclui-se que ela  tá mais pra histórico regência/medieval do que para Velho Oeste. ( Mas vamos ao livro ).

Uma mulher em busca do próprio lugar no mundo se lança numa grande aventura... uma viagem ao Oeste Selvagem.

Um homem branco criado pelos índios, buscando o equilibrio entre dois mundos e lutando pela sobrevivência de um povo.

A descrição de Cooper me deixou encantada, afinal não é todo dia que vejo um índio de longos cabelos loiros e olhos da cor do céu.

Inusitado, surpreendente, implacável... Cooper é sedução em forma de homem e a química do casal é excelente.

A Helene é sem frescuras, uma sobrevivente que se adapta perfeitamente ao modo de viver do Cooper.

Algumas cenas são ternas ao extremo, outras hilárias e muitas são hots, naquele estilo sensual apaixonado.

Livro perfeito, que com certeza ganhará várias releituras.

Nota 10.

Meu único pavor foi o vilã que é o irmão (índio de verdade) de criação do Cooper. Ele realmente é amedrontador e muito sinistro.

7 comentários:

Lidy disse...

Geralmente não sou fã do Velho Oeste, mas abro uma exceção pra Cheryl. Agora tenho que caçar esse!

Mara disse...

Hauhau cunhada...

Renda-se ao poder de sedução de Cooper o índio loiro de olhos azuis, mais fofo que já tive o prazer de ler!

Lidy disse...

Esse "loiro" me tira o tesão. ;)

Mara disse...

Cunhada...

"agarra" o homi sem preconceito... que vale super a pena...

E quando for ler,... imagina ele de cabelos pretos oras...rs

Lidy disse...

Vou colocar uma peruca nele, é o jeito! rs

Danielle CGA Souza disse...

Um "índio" loiro!!! Legal!!!
Gostei mesmo da descrição que você fez dele.... eu não sou muito chegada em velho oeste, mas esse merece uma chance!!! =)

Mara disse...

Dani!

Esse índio vale a pena... e realmente a descrição toda do Cooper é... uhu... perfeita!

A Helene é uma excelente mocinha... e o livro tem um final pra lá de perfeito...

Com uma ceninha básica de mico... misturado com familia e mãe capaz de fazer rir horrores.

bjos e boa leitura!

Mara

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe