Jeremiah Cortez acreditava que já tivesse superado o passado, especialmente no que se referia a Phoebe Keller.

Quando ainda era uma colegial, ela provocava um verdadeiro caos no coração de Jeremiah. Ao reencontrá-la, três anos mais tarde, transformada em mulher, lampejos de desejo atingem mais uma vez seu corpo e sua alma. Mas Jeremiah sabe que não deve se deixar dominar pela emoção, pois nada, nem ninguém, poderá mudar suas origens.
Phoebe, porém, não consegue esquecer que foi rejeitada por Jeremiah. Agora, ao trabalharem juntos para desvendarem as razões que motivaram um assassinato dentro da reserva indígena, eles mergulham em um mundo de mentiras, conspirações... e de um amor mais poderoso do que qualquer outro sentimento que já tenham sentido...


Meu Comentário:

É um daqueles livros inesquecíveis, com cenas épicas que ficarão memorizadas para sempre.

A descrição de Jeremiah Cortez é um capítulo à parte... Alto, moreno, pequena cicatriz na face, terno cinza de grife e o cabelo grosso, negro e preso num rabo de cavalo que lhe chega a cintura.

Phoebe é uma felizarda, ter a dedicação e o amor desse homem, cura até a pior das feridas. E Jeremiah causa uma ferida profunda em Phoebe... achei muito cruel o fato dele prometer a chance de um futuro e logo após algumas semanas enviar um recorte de jornal com o anuncio do casamento dele com outra mulher.

Reconquistar a confiança perdida é um trabalho penoso, prinpalmente quando se está em meio ao perigo.

Jeremiah tem a pegada e é extremamente carinhoso e sexy. A trama é muito boa, mas o melhor do livro sem dúvida é a primeira vez deles, a cena é de tirar o folego.


O final é lindo, chega a ser mágico, pois o pai de Jeremiah, o Sr. Charles Falcão Vermelho, é xamã e tem visões que são o ponto mais alto do livro, tornando-o inesquecível.

Gostei também do trecho que explica o nome da história.

Nota 10 (Literalmente considerem-se culpadas Rogiane e Suelen por me viciarem em DP)
.

0 comentários:

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe