11.11.15

Razão ou Coração - Emma Darcy

Postado por Mara |

CINCO IRMÃS... E RICHARD SEYMOUR TINHA DE SE CASAR COM UMA DELAS! 

Considerada o patinho feio em sua glamourosa família, Lynn Durant surpreendeu-se quando Richard fez sua escolha: casar-se com ela!

A proposta de casamento era realmente tentadora, e a atração que existia entre eles era incontrolável. 

Mas Lynn era a noiva de que Richard realmente queria... ou apenas o caminho mais fácil para o poder? 

A resposta era difícil, mas Lynn estava determinada a descobrir a razão da escolha de Richard.

Meu comentário:

À um longo tempo afastada dos livrinho de banca antigos, ontem fui tomada por uma onda de nostalgia e saí à caça de algum livro de Emma Darcy, uma de minhas autoras prediletas.

Fucei um pouquinho e comecei a espiar "Razão ou Coração", liguei uma música de Sara Bareilles para usar como trilha sonora - "She Used To Be Mine"

E fui apresentada a Lynn Durant, uma filha bastarda, rejeitada pela própria mãe, e maltratada pelo traído marido, que socialmente era conhecido como seu pai.

Cansada das arbitrariedades do tirano, Lynn saiu de casa aos 18 anos e seguiu seu próprio caminho. Sem ajuda, sozinha, uma sobrevivente.


O "pai" falece, e finalmente Lynn acha que terá uma chance com a própria família, leia-se irmãs e mãe.

Voltar para o funeral é uma tentativa de recuperar aquilo que ela jamais teve, o direito de amar e ser amada pela família.

Em seu retorno, ela constata tristemente que nada mudou, suas irmãs continuam egocêntricas e egoístas, e sua mãe indiferente.

Ao reencontrar o "executor" do testamente de seu pai, Richard Seymor, velhas faíscas se manifestam e o pedido de casamento acontece, ali mesmo no funeral.

Com base na lógica, no meio das muitas respostas, percebemos o verdadeiro Richard e claro começamos a baixar a guarda:

(—    Vamos ao que interessa, Richard. Não acredito que você me queira e casamento tem que ter uma finalidade. Qual é a vantagem que ele trará para você?

Ele riu, desarmando-a por um momento. Havia admiração no olhar dele, o que a desarmou mais ainda.


—    Creio que não acreditaria em mim se eu lhe dissesse que a amo.


Richard aproximou-se da beirada de arenito que circundava o lago, colocou um pé sobre uma das pedras e inclinou-se para a frente, apoiando-se no joelho erguido. A pose o fez ficar mais perto dela, dando impressão de intimidade, apesar de ele res­peitar o espaço pessoal de Lynn. De repente, um brilho passou pelos olhos azuis, deixando-a nervosa.


—Mas não pense que não a quero, Lynn. — A voz dele se tornara caridosa. — Não há nada em você que eu não queira, inclusive seu modo tão direto que às vezes é rude. Gosto desse modo mais do que você pode acreditar.)


Quando ele conta que esteve "cuidando" dela todo esses anos, deixando-a seguir seu próprio caminho sem interferir, no entanto pronto a ajudar se fosse necessário. Admito que não resisti e me apaixonei perdidamente por ele.

E a cada frase, Richard se mostra ainda mais perfeito. A reação de Lynn é surpreendente e confesso, ousada.

Com cenas calientes e muita emoção. O desfecho é marcar a data do casamento.

Um casamento todo planejado pelo noivo, porque Lynn se abstém de fazer qualquer escolha e lhe dá carta branca.  

Uma decisão bastante acertada, já que Richard planeja o casamento dos sonhos de qualquer romântica.

As entrevistas para a imprensa é de abalar a mais empedernida das mulheres.

(A sessão de fotografias foi intensa, misturada uma entrevista com um pequeno grupo da imprensa. No momento em que Lynn e Richard chegaram ao hotel, ao fotógrafo oficial contratado por Anne Lester juntou-se um grupo de outros, de jornais e revistas, acompanhados por colunistas sociais e repórteres que faziam perguntas entre um flash e outro.

Lynn sentia-se deslumbrada e profundamente gratificada pelas respostas que Richard dava negando que o casamento tivesse algo a ver com negócios, insinuando que havia laços românticos entre eles.


"Lynn escolheu levar vida própria longe dos interesses dos Durant, mas nunca perdi contato com ela."


"Lynn sempre foi a mulher com quem eu queria me casar. Era só uma questão de tempo, até que ela estivesse pronta."


"Conheci Lynn quando ela estava com quinze anos. Nesse tempo já era especial. É mais especial ainda agora."


Ele disse isso tudo de um modo encantador, convincente, sorrindo para ela como se fosse absoluta verdade. Até Lynn quase acreditou. Ficou tão tocada pelo encantamento que ele projetava que suas respostas foram influenciadas pelas dele.


"Nunca houve ninguém para mim. Apenas Richard."


"Saí de casa porque tinha necessidade de me encontrar como pessoa. Richard é forte e soube respeitar minha escolha."


"Este é o dia mais feliz da minha vida."


Richard encerrou a entrevista declarando:


— Lynn e eu pertencemos um ao outro. É simplesmente isto. Um casamento por amor.)



Tudo tão perfeito, que eu comecei a achar que passearíamos por nuvens rosas e flutuaríamos até o final.

Eis que então Richard esconde um segredo e a mãe malvada e cruel dele conta a Lynn no momento mais sublime do livro, a comemoração do herdeiro da libertação. (quem ler entenderá, estou tentando conter os Spoillers no comentário... ;)

Nesse momento, admito o chão me fugiu aos pés. E eu fiquei perdida, não conseguia acreditar, que ele omitira algo tão crucial e não imaginei como ele ia provar a verdade, ainda que eu soubesse que o era.

Meus olhos se encheram de lágrimas e eu não pude deixar de lamentar.

Esperando pelo melhor, sabendo a verdade, acreditando em Richard e ainda assim, indignada, temerosa que o final feliz, não chegasse da maneira que eu queria, imaginava e desejava.

É engraçado, como às vezes sou dramática e sim, eu sei nem era para tanto. Talvez, eu estivesse sensível demais.

O fato é que eu bebia em goles desesperados todas as explicações, implorando que Lynn conseguisse acreditar.

Só posso dizer que a leitura foi uma belíssima surpresa e sim, eu achei um livro nota 10, na minha humilde opinião.






2 comentários:

Lidy disse...

Ô cunhada... cadê o spoiler no comentário?

Ah não, espera, eu mesma vou descobrir *cara de doida*

Esse Richard é meu número! Confesso que nem registrei a presença da Lynn na resenha (prioridades, sabe? kkkkkkkkkkk), mas esse Richard... gente, que homem! Eu não sei o que ele fez, mas eu perdoaria rapidinho. hehehe

Bjos

Mara disse...

Cunhada... o homem perfeito, mas a hora da revelação... ate´ você se abalaria...rs

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe