Além do Arco-Íris (versão Em mundos diferentes)
créditos do trabalho de tradução no livro.

Jane Hamilton Greer era apenas uma socialite ou uma espião perigosa?

A única certeza é que ela estava sendo mantida prisioneira, e o agente especial Grant Sullivan era o homem capaz de resgatá-la.

Encontrá-la havia sido uma tarefa fácil, mas libertá-la seria algo bem diferente.

Porém, durante o tempo em que permaneceram juntos, sentimentos de culpa e uma suposta inocência começaram a ser menos importantes do que a atração nascente.

Meu Comentário: 

Um dos melhores livros que li esse ano.

Grant Sullivan é meu tipo preferido de mocinho, dono de uma personalidae desconfiada e única me conquistou logo nas primeiras linhas.

É claro que a descrição do "guerreiro" ajudou e muito a me conquistar. Afinal não é qualquer homem que tem um metro de ombros. 

"Havia algo de selvagem, perigoso e agreste em Grant Sullivan. Estava no brilho cauteloso e inquieto dos olhos âmbar, que faíscavam tão ferozes e dourados como os de uma águia sob as sobrancelhas escuras. 

Os cabelos louro-escuros caiam em cachos desalinhados ao redor do colarinho enfatizando sua pouca civilidade A pequena cicatriz no queixo não era muito perceptível, mas a linha que lhe cortava toda a face esquerda parecia prata contra a pele bronzeada. Não eram desfiguráveis, mas lembranças de batalhas."

Jane Greer é surpreendente, a muito tempo não tinha tão agradável surpresa de ler uma mocinha tão boa.

O casal tem uma química explosiva, quase selvagem. No entanto, são capazes de despertar uma ternura mútua que torna mágico vê-los juntos.

A aventura na selva é um capítulo à parte.

E a frase hot do Grant é capaz de me deixar de pernas bambas.

"- Em breve. - disse com voz gutural repleta de desejo. - Você se deitará comigo. Antes de levá-la de volta para seu pai vou possuí-la. E, do modo como me sinto agora, acho que levarei um bom tempo até me satisfazer por completo."

A personalidade única de Jane é um dos pontos fortes do livro. Suas reações nunca são o que se espera,  e por isso até nós leitoras somos pegas de surpresa.

E a maneira com que Jane se comporta para trazer Grant Sullivan definitivamente para ela, é no mínimo inusitada.

Nota? 10 com certeza, pelo simples fato de não ter nota maior.

Informação retirada do blog Romances in Pink
 
Primeiro volume da série Kell Sabin, também conhecida como Rescues. Uma série não sequencial, onde cada livro tem protagonistas diferentes. Ordem abaixo.

  • 1. Midnight Rainbow (1986) - Além do Arco-íris.
  • 2. Diamond Bay (1987) - Baía dos Diamantes.
  • 3. Heartbreaker (1987) - O Preço de uma Dívida.
  • 4. White Lies (1988) - ainda não publicado no Brasil.

9 comentários:

Lidy disse...

Cunhada, com o combo um metro de ombros + Linda Howard, o resto é detalhe! hehehe

Mara disse...

Cunhada!

kkkkkkkkkkkkkkk

Você é impossível!

Mas quando o Grant chegar ai, vc vai amar tanto quanto eu... tenho certeza.

bjos
Mara

Lidy disse...

Com certeza vou sim! Não apenas esse é um presente da minha cunhada preferida, como o presente tem um metro de ombros! kkkkkkkkkkkkkkkkk Ainda mais fugindo, na selva! Amo muito tudo isso!

Bjos

Mara disse...

Lidy!

Fugindo na selva é o melhor!

bjos
Mara

PS. vou ver se envio essa semana ok?

Andrea disse...

Oi, Mara!

Pois prá mim a selva foi exatamente o problema: sujeira, lama, suor, mosquitos, coceira, mato... Sou uma pessoa extremamente urbana e minha noção de romance implica obrigatoriamente em pessoas cheirosas, limpas, lugares aconchegantes, boa música, comidinha gostosa, conforto... Enfim, como diz o meu marido, sou "uma fresca", portanto não consegui entrar no clima do casal, fazer o quê?

Mas isso é preferência pessoal. O livro é da Linda Howard, gente! Vale a pena só por isso.

Beijos,

Mara disse...

Andrea!

Engraçado você citar isso...kkkk pois acabei de ler a mesma preferencia no blog da Tonks.

Eu amei, e sim o periodo na selva pra mim foi tudo de bom, inclusive quando a Jane se sentiu estranha e desprotegida ao sair da selva, também me senti orfã...rs.

Mas,te entendo. Eu devo ser meio maluquinha, já que amoooo os livros da Hannah Howell que acontece nas Terras Altas periodo Medieval e sempre tem fuga por florestas e afins.

De qualquer forma, como você mesma esclareceu Linda Howard é sempre garantia de ótima leitura.

bjos
Mara

Andrea disse...

Oi, Mara!

Já tinha visto a resenha da Tonks e concordei com ela nos comentários. Finalmente alguém "fresco" como eu! kkkkk

Falando sério, nesses livros tem que abstrair muito...

Mas a Linda é a Linda, né? Só não perdoo dela o tal de Rome Mathews. Ô sujeito... Só passei mais raiva quando li o livro do Rodrigão e o Amelia da Tia Diana, mas com a Tia Diana, ao contrário da Linda, o normal é passar raiva!!!! (fugindo das pedradas! kkkkk)

Beijo!

Lidy disse...

"Mas a Linda é a Linda, né? Só não perdoo dela o tal de Rome Mathews. Ô sujeito... Só passei mais raiva quando li o livro do Rodrigão e o Amelia da Tia Diana, mas com a Tia Diana, ao contrário da Linda, o normal é passar raiva!!!!"
Com certeza, Andrea! kkkkkkkk No dia que eu não passo raiva com a Diana Palmer me sinto vítima de uma lobotomia. É como se o mundo estivesse errado. kkkkkkkkkkkk

Mara disse...

Andrea!

Eu realmente gosto de uma aventura no sentido total da palavra, e acho que enfrentaria bem os percalços... contando é claro que tivesse o bonitão do Grant Sullivan como companhia.

Quanto aos livros da DP realmente não há explicação pra tamanha devoção a uma autora que nos mata de raiva na maior parte do tempo...rs

Lidy!

Cunhada assino embaixo de suas palavras... realmente essa relação de amor e ódio é inexplicavel.

bjos
Mara

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe