Mãe do filho de seu chefe.

O maior desejo de Lianne O’Mallory era ser mãe, mas não conseguia conceber… Ela até havia criado um lista de desejos secreta com a descrição do homem perfeito. Entretanto, após uma série de romances desastrosos, a lista foi parar em uma lixeira… e catada pelo seu chefe! 

Tray Elliott não conseguia entender por qual motivo uma mulher bonita e inteligente precisaria de uma lista daquelas, e isso atiçou sua curiosidade. De sua parte, ele jamais assumiria que também desejava ter uma família. Mesmo assim, Tray tinha uma proposta a fazer para Lianne…

Meu Comentário:

Criada em uma grande família, rodeada de amor e carinho, Lianne sempre imaginou que haveria tempo para realizar todos os seus sonhos de amor e de ter sua própria família. O tempo passou.

Ao descobrir uma doença capaz de mudar todos os seus planos e alterar a sua vida, Lianne fica em estado de choque e se isola. Nesse momento Tray toma uma dimensão jamais pensada na vida de Lianne. Tray se torna o porto seguro e o confidente de Lianne.

Escolher entre seu bem-estar e sua saúde em detrimento do sonho de ser mãe é uma decisão mais do que difícil, a bem da verdade é muito doloroso.

Com uma ajuda inesperada, leia-se Tray Elliott, a vida finalmente oferece a chance de realizar não um, mas na verdade todos os seus sonhos. Casar-se com Tray, é mais do que Lianne ousou sonhar, e ainda ter a chance de ter o seu próprio bebê, é como receber uma nova chance de vida.

O medo é tanto que nenhum dos dois assume o grau de envolvimento que os toma, e apesar de estarem apaixonados, ninguém dá o braço à torcer...

... Ou como diria a Andrea Jaguaribe:-

"Se eles conversassem só mais um pouquinho... Não tinha livro! kkkk.

E voltando ao "Quem ama deixa livre", digamos que essa frase se aplica e muito ao estado emocional da Lianne em relação ao Tray!

O fato de Tray ser o último descedente de sua família, e se sentir magoado pelo fato da ex-namorada ter feito um aborto sem lhe pedir opinião, é crucial para a decisão final de Lianne.

Ouso afirmar que se eu estivesse no lugar da Lianne eu também o deixaria livre ao ver que seria impossível ter o "nosso" bebê.

... Mas como toda boa história de amor, milagres acontecem.

Eu achei linda a cena em que Tray se declara, só senti falta de um epílogo... e quem ler vai entender muito bem o porquê.

Agradecimentos especiais, mais uma vez, à Andrea Jaguaribe.

Nota 8.

4 comentários:

k-rol disse...

OLÁ! SUA RESENHA NÃO OUTRA COISA QUE SE NÃO M A R A V I L H O S A !! SÓ NÃO GOSTEI DE UMA COISA A SUA NOTA PARA HISTÓRIA POIS SE ELA FOR METADE DO QUE VC POSTOU ELA É LINDA A PONTO DE IR ÁS LÁGRIMAS NO FIM!
XERU

Mara disse...

K-Rol!

Querida o livro é lindo sim, no entanto eu senti falta do epílogo pra realmente fechar com chave de ouro e somente por isso dei nota 8.

Se você olhar tem alguns outros livros considerados ótimos e que tb receberam a mesma nota, na verdade essa nota só dou para livros que gosto...rs.

bjos
Mara

Danielle disse...

Achei um link, se quiser posta esse.
http://www.mediafire.com/?1ce6nj1ucptmw6x

Mara disse...

Oi Danielle!

Brigadin de S2 pela dica, já upei o arquivo e já está disponivel... para nossa alegria!!!!

bjos
MARA

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe