Apenas Uma Mulher


Inglaterra, 1812

Coração seduzido

Jane Fitzsimmons nunca lamentou ter nascido mulher... até que o estaleiro da família, que ela administrava, foi cruelmente arrebatado de suas mãos pelo pai insensível. Para resgatar seu sonho, Jane teria de se casar. Somente então, com a permissão do marido, ela poderia reassumir a direção da empresa. O problema era que o único pretendente que fazia seu coração palpitar era um homem sem escrúpulos...

O irresistivelmente atraente Phillip Wessington procurava o dote de uma esposa, sem precisar se casar. Embora fosse cínico e desconfiado, ele não podia negar o desejo que Jane lhe despertava, nem a conveniência de um casamento arranjado. Mas um homem que sofrera por amor não se emendava com facilidade, nem mesmo sob a influência de uma mulher carinhosa e desejável. A menos que ele estivesse disposto a esquecer o passado e seguir a voz do coração...



Meu Comentário:

Eu admito que tinha um certo preconceito com os livros da Cheryl, porque ela é aclamada como uma autora de cenas hots e eu achei que a estória se perderia.

E quando li “A Poção do Amor” odiei o mocinho e suas atitudes.

Mas felizmente em “Apenas Uma mulher” eu me enganei, os personagens são seres humanos normais, com defeitos bem realistas e mexem com nossa sensibilidade tornando impossível não se apaixonar e por fim perdoar, pois afinal não existe ninguém perfeito.

Eu fiquei chocada, pois ele negociou a venda em casamento da filha que ainda nem completara 12 anos para um amigo dele que é pervertido sexual.

Só o fato de ser amigo de um indivíduo desses já é terrível, agora negociar a menina “É o fim”.

No momento que li essa cena pensei: “Ele vai ter que ser muito bom pra me fazer perdoá-lo”.

O fato de ele desconfiar que a menina não era filha dele não justificou pra mim tamanha crueldade.

A Jane também me deixou chocada, pois faltou muito pouco para ela ter um caso com o cunhado. Sim, infidelidade em família, e ela só não o deixou consumar a relação nem sei como, e ainda pretendia depois de casada se tornar amante do cunhado.

O casal não é nenhum poço de virtudes e nada tem de convencional.

A história nos envolve de tal forma, que cada momento é uma emoção mais forte que a anterior.

A participação da Emily, a filha de 11 anos rejeitada pelo conde é, determinante para os rumos da trama.

Jane e Philiph amadurecem em meio às decepções, perdas e boa dose de perdão.

O irônico é que quando o Conde finalmente se emenda, porque ele sinceramente é um devasso, inconseqüente e desleal em boa parte da história, ele é julgado e culpado, por conta de uma armação em que é totalmente inocente.

Se a obra fosse filmada, com certeza Emily seria indicada ao prêmio de melhor atriz coadjuvante por sua força e determinação. Ainda seria indicada para a continuação da saga, com estória própria.

Emily sofre uma tentativa de estupro, e amadurece de forma cruel e com um grande trauma.

E o mais surpreendente é que o fato do pai de Emily cometer um assassinato à sangue frio, melhorou muito a sua imagem comigo, e foi como ponte de acesso para voltar a merecer a aprovação e o amor da própria Jane e sua filha Emily.

Enfim, Nota 10

“Um livro inesquecível!”

4 comentários:

Rogiane disse...

Marinha eu tb amei este livro,achei perfeito.

Mara disse...

Rogi... para variar... vc me deu esse livro de presente... "leia-se Brigado"...rs então ele só podia ser nota 10... afinal suas dicas são preciosas...

bjos
MARA

Eliani disse...

Oi Mara. Comprei este livro por acaso, mas achei que valeu muito a pena.
Concordo com a sua opinião. Acho até que vale + a pena ler estas estórias em que os personagens tem alguma fraqueza, fica mais real.

Um beijo.

Mara disse...

Oi Eliani... concordo com vc amiga, os defeitos faz acreditar que e possível amar no mundo real... e isso é muito legal...

Brigado pela visita!
Bjos
MARA

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe