Daniel Sempere está completando 11 anos. 

Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível:

leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. "Sombra do Vento" é um romance arrebatador sobre o poder da cultura e a tragédia do esquecimento.

Meu Comentário:

Um livro lúgubre, cheio de suspense, com citações dignas de serem mencionadas.

Um romance recheado de drama, tragédia e uma dose muito forte de mistério.

Pra quem gosta de bancar o detetive esse é "O Livro". Carlos Ruiz Zafón tem o dom de misturar vidas humanas tão bem, que chega a ser assustador as resoluções de seus mistérios, o mesclar quase profano de uma vida na outra.

Vale a pena a leitura, ainda que em algumas páginas ela se arraste não é possível fazer leitura dinâmica, uma frase mal lida compromete nosso entendimento, e nos faz voltar várias páginas para podermos assimilar o que presumimos errado.

Enfim, é um livro para degustar lentamente e com o coração preparado, tanto para se apaixonar, quanto para odiar vários personagens.

Uma dica: - Todos os personagens são importantes e também são elos fortes de ligação, que vão e voltam ao sabor da Sombra do Vento.

***** 
Cuidado tem Spoiller 

Abaixo alguns trechos que me marcaram e tornaram a leitura uma viagem: -

Numa ocasião ouvi um cliente habitual comentar na livraria do meu pai
que poucas coisas marcam tanto um leitor como o primeiro livro que
realmente abre caminho até ao seu coração.

Aquelas primeiras imagens, o eco dessas palavras que julgamos ter deixado para trás, acompanham-nos toda a vida e esculpem um palácio na nossa memória ao qual, mais tarde ou mais cedo - não importa quantos livros leiamos, quantos mundos descubramos, tudo quanto aprendamos ou esqueçamos -, vamos regressar.

Para mim aquelas páginas enfeitiçadas serão sempre as que encontrei
entre os corredores do Cemitério dos Livros Esquecidos.

"Como ensina Freud, a mulher deseja o contrário do que pensa ou declara."
pág. 110

"O coração da mulher é um labirinto de sutilezas que desafia a mente grosseira do homem trapaceiro."
pág. 111

"Para possuir uma mulher, é preciso pensar como ela, e a primeira coisa a fazer é ganhar a sua alma."
pág. 111 (frase de autoria de um dos meus personagens prediletos: Férmin Romero de Torres... (o poeta).


"É uma história de amor, de ódio e dos sonhos que moram na sombra do vento.  

 Até aquele instante não havia compreendido que aquela era uma história de pessoas solitárias, de ausências e de perdas que, por esse motivo havia me refugiado até confundi-la com a minha própria vida.

Como quem escapa pelas páginas de um romance, porque aqueles que precisam amar são apenas sombras que moram na alma de um estranho".  (Definição de Daniel para o livro "A Sombra do Vento").

pág.148


"Falar é para bobos; calar é para covardes; escutar é para os sábios."
(Braulio Recolons; o açougueiro).
pág. 243

"Há decepções que honra a quem as inspira. 
(Miguel Moliner, o melhor amigo que alguém poderia ter).
pág. 323

"Aquele era o único lugar no mundo que ele ainda sentia ser seu. Há prisões piores do que as palavras.
 pág. 365


"... Pressinto que meu destino, apesar da minha vontade, e das minhas vãs esperanças, é entregar-lhe está história. O seu, apesar de sua juventude e de sua inocência, é libertá-la"
(Núria Monfort)
pág. 365



"Enquanto os outros se lembram de nós continuamos vivos. Lembre de mim Daniel, embora seja num cantos às escondidadas. Não me deixe ir.  (Núria Monfort)
pág. 366

Vestia de marfim e trazia o mundo no olhar.

Mal me lembro das palavras do padre, nem dos rostos perdidos de esperança dos convidados que enchiam a igreja naquela manhã de Março.

Permanece apenas em mim o roçagar dos seus lábios e, ao entreabrir os olhos, o juramento secreto que trazia na pele e que recordaria todos os dias da minha vida. (casamento de Bea e Daniel)
pág finais.

"Para meu amigo Daniel, que me devolveu a voz e a pena. E para Beatriz, que nos devolveu a ambos a vida."
(Dedicatória no livro "O Anjo de Brumas", do autor Boris Laurent).
pág finais.

 Final de Spoiller

*****

Enfim, para finalizar a resenha ainda ouso dizer que: -

Um livro lúgubre, intenso, inesquecível, trágico como os Grandes Clássicos e meigo como os Contos de fadas.

Impossível parar a leitura, como uma trama de labirinto as peças (pessoas) se encaixam tal qual um quebra cabeça de rara beleza.

Nota 10. (Gracias à amiga Danielle Mano, por partilhar esse tesouro comigo)

Música que ouvi enquanto lia o livro:

Don't Bring Me Down - Sia 


2 comentários:

Dreamer Girl disse...

Boa tarde, Mara.
Ah, eu adoro bancar a detetive, gostei muito da tua resenha e dos trechos que você utilizou.
Mais um livro para a lista dos desejados kkkkkkkk.
Beijos.

Mara disse...

Oi Dreamer Girl!

Ficou feliz que tenha gostado da resenha, e se você realmente gosta de bancar a detetive, vai ter muito com que se ocupar nesse livro.

bjos
e boa leitura!

Postar um comentário

Olá sejam Bem-vindos! E por favor deixem seus comentários.

Subscribe